INÍCIO DIA 08/06 - MACHADO E A MULHER

Data de publicação: 29/04/2021, 17:35

Carga-horária: 08 horas de videoaulas

Datas: 08, 15, 22 e 29 de Junho e 06 e 13 de julho

HORÁRIO: 19:00 ÀS 21:10

 

Descrição

Em 1865, um leitor escreveu para o Jornal das Famílias, indignado, apontando a existência de uma verdadeira apologia do adultério em um conto aparecido em um dos números daquela tão respeitável publicação. Era voltada sobretudo para as mulheres da casa, mães e filhas, que nela encontravam desde receitas culinárias e os últimos modelos da moda até orientações religiosas, além de um ou outro conto ou poema. O conto visto como subversivo da moral familiar chamava-se “Confissões de uma viúva moça” e era de autoria do jovem escritor Machado de Assis, à época com apenas 26 anos. Machado, irônico e galhofeiro, ao contrário do que fazem supor as poucas imagens que dele temos, não se fez de rogado: empunhou a pena, inventou um pseudônimo e respondeu ao pai de família preocupado que, de forma alguma o tal de Machado de Assis havia feito um elogio ao adultério.

Na verdade, Machado escreveu muitos contos para o Jornal das Famílias e depois para o seu sucessor, A Estação, que como o nome indica oferecia conselhos quanto a que roupa usar dependendo da época do ano. Eram publicações voltadas exclusivamente para mulheres. Mas quem pagava a assinatura e se via no direito de fiscalizar seu conteúdo eram os homens, ou melhor, o homem, chefe da família naquele tempo. Sendo assim, Machado, desde cedo, treinou a sutileza no trato da condição feminina, que ele problematizou com maestria em toda a sua obra. Basta dizer que a sua personagem mais conhecida e, até hoje, mais polêmica, é Capitu.

Neste breve curso iremos examinar a visão transgressora de Machado de Assis em relação à condição feminina existente em sua época. O faremos através da leitura e análise de sete contos selecionados em meio aos quase duzentos contos que ele escreveu.

Estrutura do curso

A dinâmica do curso será simples, em quatro etapas:

  1. O professor fará a contextualização do conto e em seguida o lerá;
  2. As alunas e alunos, que receberão o conto com antecedência, farão comentários e perguntas sobre o conto;
  3. O professor fará um comentário geral incorporando e dialogando com os comentários da turma;
  4. Debate final e conclusões.

 

Professor

MARCOS ALVITO

Nasceu no Rio de Janeiro e tem 60 anos. Tem formação em História (graduação e mestrado, na UFF) e em Antropologia (USP). Publicou livros e artigos sobre diversos temas: Grécia antiga, favela, futebol e samba, dentre outros. Foi professor universitário por 32 anos até que resolveu se alforriar da vida acadêmica e voltar para o grande amor da sua vida, a literatura. Há cinco anos que oferece cursos livres de literatura (atualmente via Zoom), sobre contos, Gabriel García Márquez, Machado de Assis e sobretudo acerca da sua paixão maior: Grande sertão: veredas. Atualmente prepara um livro sobre a obra-prima de Guimarães Rosa.

“Machado e a Mulher: sete contos de Machado de Assis sobre a condição feminina” é o primeiro curso que oferece na LabPub.